Crachá para guardador de carro em Niterói
Os guardadores de veículos de Niterói agora terão a obrigatoriedade de ter registro e crachá de identificação. A Polícia Civil será responsável pelo cadastramento desses profissionais, assim como pela emissão do documento de identificação. O procedimento de inscrição, que é gratuito, começa dia 19 e vai até o dia 31. A partir de 15 de abril, órgãos estaduais e municipais deverão iniciar a fiscalização. O guardador deverá procurar a 77ª DP (Icaraí) ou 78ª DP (Fonseca), com certidão negativa de antecedentes criminais e registro profissional na Delegacia Regional do Trabalho, e terá que informar seus dados pessoais e a sua área principal de atuação. Cinco dias após a inscrição será expedido o crachá. O documento de identificação emitido pela Polícia Civil, que é de uso pessoal e intransferível, tem validade até maio, quando deverá ser trocado pelo modelo definitivo. O crachá permanente tem validade de um ano, podendo ser renovado ao final desse período. A vinda da ‘Etapa Niterói’, como é chamado o cadastramento de guardadores pela Polícia Civil, foi articulada pela secretária de Serviços Públicos de Niterói, Dayse Monassa, que pretende com essa medida melhorar a qualidade dos serviços prestados. “Queremos também ampliar a quantidade de vendedores de tíquetes de estacionamento. Mas ressaltamos que somente o Centro e Icaraí continuam sendo as áreas onde essa exploração comercial é permitida. E nesses locais a concessão foi dada, através de licitação, à Nitpark”, disse Monassa. A Polícia Civil em parceria com a Polícia Militar e órgãos da Prefeitura farão fiscalizações rotineiras para verificar se os guardadores de veículos estão atuando nas localidades indicadas e para checar se o crachá está visível e no prazo de validade. Caso seja constatada alguma irregularidade, o profissional será levado à delegacia mais próxima para prestar esclarecimentos e será notificado por exercício irregular da atividade. Além disso, serão recolhidos o talão de tíquetes e o colete de identificação. Caso o guardador sem licença esteja exigindo o pagamento de algum motorista, poderá ser preso por crime de extorsão.
FONTE: O Fluminense (Niterói), 15 de março de 2006
v o l t a r